Pet Saudável companhia

Produtos

New-Vacin La Sota

USO VETERINÁRIO

NEW-VACIN Vacina Viva Contra a Doença de Newcastle, do Laboratório Bio-Vet, é constituída da amostra de Vírus La-Sota, preparada com ovos embrionados de galinhas,
isentas de agentes patogênicos específicos (SPF Specific Pathogen Free) e de acordo com
as técnicas mais modernas.

A vacinação sistemática das aves é realmente a medida mais eficaz na prevenção da
Doença de Newcastle, considerada como uma das moléstias infecciosas mais graves das
aves.

 

Indicação

Imunização de frangos de corte, galinhas poedeiras comerciais e matrizes leves e pesadas.

Modo de Usar

A aplicação da vacina viva contra a Doença de Newcastle - NEW-VACIN pode ser feita por INSTILAÇÃO nasal ou ocular, com o auxílio de um conta gotas ou por via ORAL, na água de bebida.

Pela via nasal / ocular, para qualquer idade, instilar uma gota (0,03 mL) numa narina ou no
olho. 

Diluição da Vacina

INSTILAÇÃO NASAL OU OCULAR: A diluição da NEW-VACIN - liofilizada, deve ser feita
com o Diluente Estéril. Utilizar somente o diluente fornecido pelo proprietário desta
vacina.

Para instilar: reconstituir o lifilizado com 30 mL de diluente para a embalagem de 1.000
doses.

VIA ORAL: A vacinação através da água de beber exige cuidados especiais relativos à
higiene dos bebedouros, temperatura e qualidade da água. Leves traços de desinfetantes
químicos afetam a viabilidade da vacina. Após observar estes cuidados, a vacinação oral
pode ser feita seguindo o esquema abaixo:

ESQUEMA DE VACINAÇÃO ORAL (via água de bebida)

Imagem

 A solução de vacina deverá ser distribuída igualmente em diversos bebedouros, de modo que todas as aves tenham oportunidade de beber sem grande aglomeração.

A sede das aves deve ser estimulada, assim não deve ser administrada água de bebida por até 2 horas antes da administração da vacina.

Os bebedouros devem estar limpos e sem resíduos de sabão, detergentes ou desinfetantes, bem como não se encontrar em contato com a luz do sol ou em locais muito quentes.

Toda água utilizada nas diluições não pode ser tratada com desinfetantes de qualquer tipo (não usar água de distribuição que contenha cloro).

Não administrar outra água de bebida até que toda a água contendo a vacina tenha sido totalmente consumida.

ESQUEMA DE VACINAÇÃO ORAL (via seringa no bico)

Imagem

Diluir a vacina utilizando-se 50 mL de água mineral para um frasco de 100 (cem) doses da
vacina. A administração deve ser realizada utilizando-se uma seringa descartável nova
(sem agulha), respeitando a dose de 0,5 mL (1/2 mL) / ave.

Toda água utilizada nas diluições não pode ser tratada com desinfetantes de qualquer tipo
(não usar água de distribuição que contenha cloro).

Como medida de reforço recomenda-se revacinar as aves periodicamente, com intervalo
de 3 a 4 meses. A vacina produz imunidade somente depois de 21 dias, cuja duração varia
de acordo com a idade das aves e o número de vacinações que forem aplicadas. Evite expor
as aves logo após a vacinação.

Importante

A vacina depois de reconstituída perde dentro de pouco tempo sua capacidade de imunizar, em vista do que, sugerimos aplicá-la imediatamente.

Aves mal nutridas, fracas ou com doenças intercorrentes (coriza, coccidiose, verminose e outras), não devem ser vacinadas, por serem altamente sensíveis ao vírus e não responderem satisfatoriamente à imunização.

A vacina deve ser mantida à temperatura entre 2°C a 8°C.

Verificar na caixa e rótulo do produto seu prazo de validade que é de dois anos.

Depois de aberto o frasco a vacina não se conserva.

Queime o frasco e qualquer sobra do conteúdo que não tenha sido usado.

Não vacine as aves durante os 21 dias anteriores ao abate.

Todas as aves suscetíveis de um lote devem ser vacinadas ao mesmo tempo. Se isto não for
possível, as não vacinadas devem ser mantidas sob estrita separação.

Apresentação

  • Blister contendo 10 frascos de vacina liofilizada, frascos estes com 100, 1000 e 2000 doses, todas sem diluente.